Produção criativa e coletiva

Nossas fotos não são publicitárias, são da escola de verdade!

A importância de criar, imaginar e experimentar

Hoje percebemos uma ansiedade cada vez maior para que as crianças "adquiram" conteúdos. Mas é fundamental ter em mente que estes conteúdos só serão capazes de gerar uma melhoria efetiva na vida destas pessoas (hoje crianças) na medida em que puderem se transformar em ações criativas, se puderem ser aplicados aos múltiplos e específicos contextos da vida.

O passo básico da criação é a imaginação. Imaginar não é "passatempo" e muito menos "perda de tempo". É a capacidade de abstrair, de expandir a mente para além da realidade concreta imediata, de encontrar soluções para problemas até então desconhecidos, de criar novas possibilidades.

Nossas fotos não são publicitárias, são da escola de verdade!

É neste sentido que na Baby House trabalhamos muito com a contação de histórias, os jogos, o trabalho artístico, além da escuta atenta às hipóteses das crianças, dentre outros vários recursos.

Mas criar envolve também fazer, através da experimentação. E para isso, desde o Berçário, desde antes da fala, colocamos à disposição das crianças uma série de recursos para que desenvolvam a intimidade com os materiais expressivos, para que desenvolvam a coragem e a autoconfiança para o processo criativo.

Cooperar é criar em dobro

Nossas fotos não são publicitárias, são da escola de verdade!

Além de incentivar a ação criativa individual, também trabalhamos a ação criativa coletiva, cada vez mais necessária. Esta é estimulada permanentemente pela nossa pedagogia centrada na cooperação. "Co-operar" é trabalhar junto, respeitando as ideias, opções e opiniões de todos, negociando soluções e valorizando a comunicação positiva, sabendo ouvir, perguntar e expor seus desejos.

Os resultados são surpreendentes: casas, cavernas, iglus, pequenos museus, pinturas, maquetes, livros, entre tantas outras produções criativas. Um exemplo foi nosso trabalho com cinema, no qual as crianças se mostraram capazes de escrever roteiros, construir cenários e figurinos, dirigir e atuar, tudo coletivamente, realizando todas as etapas da produção de uma obra.

Criadores do próprio caminho

Nossas fotos não são publicitárias, são da escola de verdade!

Sem esquecer que tudo isso, o tempo todo, não é um currículo, não são proposições da Baby House, mas projetos desenvolvidos a partir do interesse e desejo das crianças. Elas, assim, deixam o lugar passivo de meros expectadores, de meros leitores de livros e "respondedores de perguntas", tão propagado pelo nosso sistema educacional vigente, para se tornarem também criadores, aqueles que escrevem os rumos de suas vidas.


Siga acompanhando:

Ação social

Voltar para a capa